quinta-feira, 8 de novembro de 2012

O Fim do Mundo :-)

Autoridades temiam suicídio colectivo de 150 pessoas

Medo de matança leva polícia brasileira a invadir casa de seita (COM VÍDEO)

O temor de que o fanatismo provocasse o suicídio colectivo de 150 pessoas levou a polícia de Teresina, capital do estado brasileiro do Piauí, a invadir a propriedade onde funciona uma estranha seita liderada por um ex-vigilante, Luis Pereira da Silva, autoproclamado profeta, o qual garantia que o Mundo ia acabar na sexta-feira passada.
      
Por: Domingos Grilo Serrinha, correspondente no Brasil

Na propriedade, localizada no bairro Parque Universitário, onde o grupo estava em isolamento absoluto há cerca de dois meses, preparando-se para o fim dos tempos, havia uma grande quantidade de veneno para ratos, que poderia ser usado pelos seguidores da seita para se suicidarem colectivamente sob o domínio do alegado profeta.
 
Este garantia ter recebido de um anjo a informação de que o Mundo ia acabar nesta sexta-feira e que deveria escolher um grupo de pessoas para serem salvas.
 
Cerca de 150 homens da Polícia Militar (Segurança Pública) e da Polícia Civil (Judiciária) cercaram a propriedade, um terreno onde ficam duas grandes casas protegidas por muros feitos com troncos de palmeiras, e depois invadiram os imóveis, onde os membros da seita estavam entricheirados.
A polícia retirou o veneno e resgatou 20 crianças e adolescentes que tinham sido levados para a propriedade pelas famílias e eram mantidos ali à força. Após a libertação foram transportados para abrigos da cidade sob protecção da justiça.
 
Os adultos recusaram sair e, como manifestaram o desejo de continuarem na propriedade por vontade própria, aguardando o fim do Mundo proclamado pelo vigilante-profeta, a polícia não pôde retirá-los do local.
No entanto, horas depois, no final da tarde desta sexta-feira, um novo contingente policial foi enviado e invadiu outra vez a propriedade, desta feita para evitar que o líder da seita fosse linchado.







Sem comentários:

Publicar um comentário